Lei de Transparência nas Cadeias de Abastecimento da Califórnia de 2010 e Declaração do Ano Fiscal de 2018 sob a Lei de Escravidão Moderna de 2015

Na John Bean Technologies Corporation (JBT), nossa visão é ser o principal fornecedor de soluções tecnológicas de classe mundial e de missão crítica para as indústrias de processamento de alimentos e transporte aéreo. Só podemos realizar nossa visão se conduzirmos os negócios de maneira ética. JBT tem em vigor um forte código de conduta ética, que se reflete no One JBT Guide to Ethical Conduct (Guia de Conduta Ética).

Esperamos que nossos funcionários e fornecedores adiram à letra e ao espírito das disposições relevantes de nosso Guia de Ética. JBT's Supplier Code of Conduct esboça para nossos fornecedores o comportamento ético que buscamos de nossos fornecedores e esperamos que nossos fornecedores estejam em total conformidade com todas as leis aplicáveis. Como temos essa expectativa, confiamos em nossos fornecedores para fazer o necessário para erradicar o uso de práticas trabalhistas antiéticas em suas cadeias de fornecimento.

Assim, JBT não utiliza terceiros para avaliar e abordar o risco de tráfico e trabalho forçado em suas cadeias de fornecimento; JBT não realiza auditorias independentes e sem aviso prévio de seus fornecedores para avaliar sua conformidade com nossas expectativas de práticas éticas de trabalho; e JBT não exige que seus fornecedores certifiquem que os materiais incorporados em nossos produtos cumprem com as leis antitráfico e trabalho forçado. E, embora JBT mantenha normas e procedimentos para garantir que seus funcionários cumpram com o Guia de Ética, JBT não mantém normas e procedimentos específicos para garantir que seus fornecedores e empreiteiros cumpram com as expectativas de JBTquanto às práticas éticas de trabalho.

Finalmente, embora JBT funcionários recebam regularmente treinamento sobre o Guia de Ética, JBT não fornece rotineiramente treinamento sobre questões de tráfico e trabalho forçado. Esta declaração é feita de acordo com a Lei de Transparência nas Cadeias de Abastecimento da Califórnia de 2010 e a seção 54(1) da Lei da Escravatura Moderna de 2015 e constitui nossa declaração de escravidão e tráfico humano para o ano fiscal que termina em 31 de dezembro de 2018.